Feeds:
Posts
Comentários

Archive for junho \17\UTC 2011

Anime lançado em 2007, com 25 episódios. Produzido pelo estúdio Bones, com roteiro escrito por Tensai Okamura. Em 2008, ganhou OVA de apenas 1 episódio, Beneath the Fully Bloomed Cherry Blossoms, e em 2009, uma continuação, Gemini of the Meteor, com 12 episódios. Gênero: Ação/Sobrenatural

 

História

Há dez anos, apareceu em Tóquio uma enorme e anormal área, o “Hell’s Gate”. Isso fez com que as estrelas desaparecessem do céu, sendo substituídas por falsas estrelas. Nesse período, pessoas com habilidades especiais surgiram. Em troca dos poderes, abdicam de seus sentimentos humanos e têm que pagar um preço por cada vez que usam os poderes. Essas pessoas são os Contratantes, e são capazes de matar a sangue frio. Várias nações se utilizam deles para serviços de assassinatos e coleta de informação.

Hei é um Contratante chinês, que realiza diversas missões, trabalhando para a poderosa organização chamada de O Sindicato. É um assassino famoso por ser bem eficaz, mas, é um Contratante diferente, por mostrar sinais passionais e por não precisar pagar nada pelos poderes. Ele busca por outra Contratante, Pai, que é sua irmã.

 

Comentário

É um anime com uma proposta muito interessante. Tem um enredo muito bom, bem obscuro, mas, intercalado com partes leves. Os gráficos são bons, e tem uma animação boa, com lutas bem interessantes. E, por ser um anime original, não há perigo de ter um final vago, como acontece com os baseados em mangás.  Vale a pena também conferir o mangá Darker than Black: Shikkoku no Hana, já que se trata de uma história nova que ocorre 1 ano depois da históriado anime. Recomendo!

-by Ryuh (@GabiMTG)

Read Full Post »

Darker than Black (Mangá)

Mangá baseado no anime de mesmo nome, escrito por Tensai Okamura e ilustrado por Nokiya. Foi lançado no Japão em 2007, com apenas 2 volumes. Foi publicado no Brasil pela Panini. Em Março desse ano, outro mangá, Darker than Black: Shikkoku no Hana, foi lançado. A história desse é separada do mangá citado nesse post, e conta uma nova história, que acontece 1 ano depois dos acontecimentos do anime. Gênero: Ação/Sobrenatural

 

História

Há dez anos, apareceu em Tóquio uma enorme e anormal área, o “Hell’s Gate”. Isso fez com que as estrelas desaparecessem do céu, sendo substituídas por falsas estrelas. Nesse período, pessoas com habilidades especiais surgiram. Em troca dos poderes, abdicam de seus sentimentos humanos e têm que pagar um preço por cada vez que usam os poderes. Essas pessoas são os Contratantes, e são capazes de matar a sangue frio. Várias nações se utilizam deles para serviços de assassinatos e coleta de informação.

Kana Shinō é uma garota que investiga a morte de seu pai. Quando investigava, acaba conhecendo Hei, um Contratante. Ela descobre que os Contratantes estão muito envolvidos com a morte de seu pai.

 

Comentário

É um mangá interessante, com traços bons e um enredo interessante. Possui cenas de ação bem feitas, com o clima obscuro característico da série, mas com bom alívio cômico. Em suma, é um mangá bom,  mas, é inferior ao Shikkoku no Hana, e talvez não ofereça nada novo para quem viu o anime.

-by Ryuh (@GabiMTG)

Read Full Post »

Mangá escrito por Katori Masaru e ilustrado por Jiro Ando, lançado em 2004 e finalizado em 2008, com 8 volumes. Não foi publicado no Brasil. Ganhou anime em 2007, com 22 episódios. Gênero: Mistério/Jogos

 

História

Shion Yasuoka é uma jovem que perdeu a voz depois de ter os pais assassinados. A única pista do assassino é uma peça de shogi (jogo japonês parecido com xadrez), o rei. Isso faz com que Shion comece a se envolver mais com o shogi, na tentativa de achar o assassino.

 

Comentário

Como Hikaru no Go, Shion no Ou faz uma boa abordagem de jogos de tabuleiro, sendo o shogi a maior atração do mangá/anime. Tem uma história interessante , com bons personagens. Os traços do mangá são leves e bons, já o gráfico do anime foi meio decepcionante para mim, uma vez que  ficam detalhados em partes e  depois ficam muito simplificados, perdendo qualidade. A animação é mediana na maioria das partes, sendo melhor nas partidas.  O shogi é muito bem explorado, podendo despertar o interesse pelo jogo da parte de quem lê/assiste. Quem tiver interesse por shogi vai ter um prato cheio com essa boa série.

-by Ryuh (@GabiMTG)

Read Full Post »

Anime lançado em 2007, baseado em game de mesmo nome. Tem 26 episódios. Ganhou continuação em 2009, La Corda d’Oro: Secondo Passo, com apenas 2 episódios. Gênero: Romance/Música/Fantasia/Harém Invertido

 

História

Hino Kahoko é uma estudante da Academia Seiso, uma escola que é dividida entre os alunos normais e os que estudam especificamente música. No primeiro dia de aula, encontra uma fada, Lili, que lhe oferece um violino mágico para usar no concurso musical anual. Depois de hesitar, resolve participar, se envolvendo mais com os outros participantes e com seus próprios sentimentos sobre o mundo da música.

 

Comentário

É um anime definitivamente voltado para o público feminino. Tem um gráfico e sonoridade boa, afinal, é um anime sobre música. A animação é boa, mas peca em certos aspectos. Por exemplo, é comum ver cenários repetidos, com as mesmas pessoas em mesmas poses. Os personagens são bem elaborados, uns mais que outros. Se você assistir, vai se cansar de ouvir da Hino as falas “Vou me esforçar” e “Amo o violino”. A parte romântica é um dos destaques,  típica dos haréns invertidos, com vários homens com possibilidades amorosas com a protagonista. Há várias informações bem legais sobre a música (erudita), o que torna a coisa mais interessante para quem ver algo além de romances.

-by Ryuh (@GabiMTG)

Read Full Post »

Break Blade

Mangá escrito e ilustrado por Yunosuke Yoshinaga, lançado em 2007 no Japão, com 9 volumes até o momento, ainda sendo publicado. Não é publicado no Brasil. Em 2010, ganhou anime, que deverá ter 6 episódios ao todo, com 50 minutos cada. Cada episódio é considerado como um filme. Gênero: Ação/Mecha

 

História

A história de Break Blade se passa em um mundo onde as pessoas são capazes de usar uma espécie de magia, controlando quartzo. Graças a isso, podem controlar de armas aos golens, enormes robôs de combate.

Rygart Arrow é um caso raro, pois ele não é capaz de controlar o quartzo. Por isso, é sempre descriminado, em especial na escola militar de Assam, onde estudou. Lá ele fez amizade com Hodr, Sygn e Zess. Mais tarde, os 4 se encontram de novo, mas sob circunstâncias difíceis. Hodr e Sygn viram rei e rainha do reino de Krisna, que está sendo atacado por Athenas, e um esquadrão de Athenas é comandado por Zess. Rygart é chamado para a capital de Krisna e lá encontra um golem antigo, que não seria movido por quartzo. Ele consegue mover o golem, e começa a participar da guerra, só que tentando proteger seus amigos, incluindo Zess.

 

Comentário

Break Blade é um bom título mecha, no mangá e no anime. O mangá tem gráficos bons, mas que poderiam ter mais detalhes e cenas de ação mais claras. O anime tem um gráfico bem feito e ótimas cenas de ação. A animação também é caprichada e com uma trilha sonora bem legal, o que é muito bom para o gênero mecha.O enredo talvez não soe muito original, mas, não deixa de ser interessante. Como o mangá ainda está em andamento, é de se esperar que o anime não tenha um final conclusivo, mas, vale a pena conferir o anime mesmo assim. Recomendo!

-by Ryuh (@GabiMTG)

Read Full Post »

Mimi wo Sumaseba

Filme do Estúdio Ghibili (não dirigido por Hayao Miyazaki), lançado em 1995, baseado em mangá de mesmo nome, que foi feito por Aoi Hiiragi.Gênero: Drama/Romance/Slice of life/Fantasia

 

História

Shizuku Tsukishima é uma jovem estudante que mora em um subúrbio de Tóquio. Ela tem hábito de ler muitos livros. Nos que ela alugou na biblioteca, ela nota certo padrão. Em todo livro que pegava, mostrava que já tinha sido lido pela mesma pessoa, Seiji Amasawa. No dia seguinte, ela alugou mais um livro na escola, e estava mostrando pra sua amiga Yuko uma versão da música Country Roads que ela mesma tinha feito. Depois, as duas foram embora, mas, Shizuku percebe que esqueceu o livro. Ela volta para pegá-lo, e vê um garoto lendo-o. Ele devolve o livro, e também zomba da versão de Country Roads, “Concrete roads”, deixando Shizuku irritada.

E, no dia seguinte, ela vai para a biblioteca onde o pai trabalha. No caminho, acha um gato e o segue até uma curiosa loja, com artefatos antigos. O senhor que cuida da loja apresentou uns artefatos, em especial, o Barão, uma estátua de gato, que tem um significado maior para ele.

Em outros dias, ela volta para visitar a loja novamente, mas a encontra fechada. Em um dia, se depara novamente com o garoto do outro dia, que a convida a entrar na loja. Para sua surpresa, esse garoto é Seiji Amasawa, que sonha em trabalhar com violinos. Os dois vão se conhecendo mais, e conversam sobre o que querem no futuro.

 

Comentário

É um filme muito rico em mensagens, detalhes, reflexões e várias outras coisas. Até me surpreendeu que não fosse dirigido por Hayao Miyazaki, mas, ele atuou no roteiro da obra. Tem um gráfico muito bem feito, mesmo sendo um fime antigo, com boa animação e detalhes. A parte sonora se encaixa muito bem com a proposta do filme, que já começa com a versão original da música Country Roads. Muitas questões típicas da juventude e da vida em geral são mostradas. Perspectiva do futuro, fazer o que gosta, descobrir seu talento… Tudo isso com um romance bem presente e cativante, com bons momentos de humor também. Vale a pena assistir!

-by Ryuh (@GabiMTG)

Read Full Post »

Eis aqui um clipe da banda Bump of Chicken, que fala sobre a vida de um gato. Bem interessante e legal. Vale a pena assistir!

 

Read Full Post »

Older Posts »